Estamos no caminho!

Tempo de leitura: 2 minutos

Somos a Geração Microondas, fomos acostumados a não esperar muito, imediatistas e queremos tudo para ontem. Somos alimentados pela internet, nossas perguntas são feitas ao Sr. Google e logo achamos que já sabemos tudo. Observamos as conquistas de quem seguimos no Instagram e queremos logo chegar lá. Queremos que nossa Carreira decole aos 20 anos, que nosso negócio tenha sucesso no ano que foi inaugurado e conquistarmos nossos sonhos antes dos 25 anos.

Mas na prática, nem sempre é assim que acontece. Na maioria das vezes, existe um longo caminho a ser percorrido e esse caminho não é compartilhado nas Redes Sociais: inúmeras reuniões no contra turno do trabalho, horas trabalhadas no final de semana, nosso suado dinheiro investido sem nenhum retorno, pouco apoio e muito trabalho.

Em 1994, quando a internet ainda engatinhava, o analista financeiro Jeffrey Bezos acreditava que a web seria algo popular. Ele achava que a rede se transformaria num excelente canal de vendas para qualquer produto. Deixou, então, um bom emprego em Wall Street e fundou a Amazon, na garagem de casa. Hoje, a empresa fatura bilhões de dólares por ano.

Steve Jobs e Stephen Wozniak venderam uma Kombi e uma calculadora científica, suas maiores posses, para reunir capital e montar os primeiros computadores pessoais. A dupla virou muitas madrugadas trabalhando enfurnada na garagem. Hoje, a Apple, é uma das empresas mais admiradas do mundo e um case de sucesso em branding.

Luiza começou a trabalhar como balconista na loja dos seus tios. Hoje comanda uma das maiores redes de varejo do país: Magazine Luiza. Sua marca principal durante o crescimento da empresa foi perceber tendências. Foi dela a ideia e o conceito de lojas virtuais, antes mesmo da popularização da Internet.

Se analisarmos a vida dessas e de outras figuras de sucesso, encontraremos uma característica fundamental: a capacidade de trabalhar e correr atrás de seus sonhos, mesmo com as adversidades. Muitas vezes, o “Não” é a melhor oportunidade para conseguir um “Sim”, mesmo que o cenário nos incentive a desistir. Não se trata apenas de se tornar um milionário (ou bilionário, como alguns dos exemplos acima), mas acima de tudo conseguir transformar dificuldades em vitórias pessoais.

Acredito naquelas histórias fantásticas de pessoas e empresas que do nada chegaram ao sucesso rapidamente, mas pela minha experiência, elas ainda são minorias e isso me faz confiar que aqueles que continuam na Batalha, também estão no caminho certo e devem continuar com sua dedicação, afinal, são os exemplos de superação e dedicação em comparação aos sucessos imediatos.

Estamos no caminho, acredite…